Sociedade

Em assim sendo… | Xico Simonini

Sob a Ótica da Introdução: 

 

     Imortal inscrição no túmulo do imortal Maquiavel: “Tanto nomini nullum por elogium”… “Nenhum elogio alcança tão grande nome”…  Salutar que se inspire naquele pensamento para recordar umas tantas e quantas Pessoas que cruzaram as tortuosas estradas, estradas estas, as mesmas tortuosas, por Este Escriba, cruzadas. Anos, meses, dias, horas, minutos, segundos somados há oito décadas. Viagens… Peregrinações… Jornadas… Romarias… Obstáculos… Impulsos gerados pelas revoltas ou serenas, bravias ou mansas, incertas ou seguras mãos ou contramãos da Vida… Pessoas? Mais do que isto, muito mais… Seres Humanos… Humanos Seres… impossíveis de serem enaltecidos pelas palavras. Nenhuma palavra atingiria a grandeza de Maquiavel… Nenhuma palavra atingiria a grandeza destes Seres Humanos… De um lado, aquele pensamento. Do outro, a fusão da Razão e da Emoção, substituindo simples palavras para falar de Seres Humanos… Ímpares Humanos Seres sob a Ótica da Introdução…

 

     Sob a Ótica da Razão: 

 

     Homens ou Mulheres… Daqui ou dalém, do lado de lá ou do lado de cá, chegados. Graduados de graduações várias, escolas oficiais ou escolas da vida. Artes… Ofícios… Artimanhas… Uns, superconscientes supercompetentes… Outros, mais menos… Inda outros, menos mais… Seres Humanos vivendo o Específico, Seres Humanos vivendo o Geral. A busca do Ser Mais, antecedendo o Ter Mais sob a Ótica da Razão…

 

     Sob a Ótica da Emoção: 

 

     Dificuldades mis para falar com Emoção. Esta, ultrapassa as fronteiras de fraterna amizade, de intenso convívio, marcado por confidências e inconfidências. Intermináveis filosofares entre aprendizes de filósofos sobre o finito e o infinito, sobre o transitório e o contingente, sobre o real e o aparente. Troca de ideias na construção incansável de Utopias, certeza fazendo de que elas, as Utopias, haverão, dia qualquer, de qualquer ano, de qualquer futuro século se transformarem em Ideologia – nova ordem Política, Econômica, Social e Ecológica – onde, a maioria, proprietária do sem tudo se transformará, também, na proprietária do com tudo. A redenção sem adjetivos, a libertação da Humanidade sem tergiversações. Na balada da vida, a afinada sintonia de Seres Humanos com Este Escriba sob a Ótica da Emoção…  

 

     Sob a Ótica da Conclusão: 

 

     Seres Humanos possuidores das qualidades acobertadas pelo manto da simplicidade, humildade e modéstia, mas, contraditoriamente, Seres Humanos de caráter próprio, nunca modificado por elementos estranhos, desprezíveis fantasmas que perambulam, espaço afora, espaço adentro, procurando corromper, destruir e prostituir Homens e Mulheres. Seres Humanos das lutas lutadas e por lutar… Seres Humanos capazes de, na suave e doce balada da vida, somarem coragem, dignidade, honestidade e coerência a um conhecimento ímpar, a um profissionalismo invulgar. Seres Humanos, dádivas para a vida, na suave e eterna balada da vida. Seres Humanos com os quais Este Escriba desfrutou de sadio convívio. Sem compromissos, ajustes ou combinações paridas pelas cloacas, latrinas e sentinas deste infectado Mundo. Sadio convívio de Seres Humanos advindos da Consanguinidade Afinidade… Amizade Amor… Trabalho Lazer… Teoria Prática… Carinho Chamego… Colega Opositor… Presente Ausente… Conhecido Desconhecido… Parodiando o dito em homenagem a Maquiavel, nenhum elogio alcançaria estes tão grandes nomes…  Sob a Ótica da Conclusão…

Francisco Simonini da Silva (Xico Simonini)  nasceu em Viçosa, MG, no dia 18 de novembro de 1941. Em sua cidade natal, em Belo Horizonte (MG), Florestal (MG), Pará de Minas (MG), Divinópolis (MG), Piracicaba (SP), Assis (SP), Primeiro de Maio (PR), Juiz de Fora (MG), Cataguases (MG), Ponte Nova (MG) e, recentemente em Santo Antônio de Pádua (RJ) construiu sua trajetória de professor e administrador do sistema educacional, além de marcante atuação na imprensa e na militância político-partidária. Aposentou-se como professor-adjunto na Universidade Federal de Viçosa (UFV), onde exercia suas funções no Departamento de Educação, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Vem atuando, há mais de cinquenta anos, no sistema educacional público e privado (da educação infantil à pós-graduação), no ensino, pesquisa, extensão e administração. Por iniciativa individual ou coletiva participou da fundação de uma dezena e meia de escolas e cursos em todos os níveis. Sua trajetória é marcada por vigorosa atuação política, partidária e sindical e em campos diversos, como músico, desportista, comentarista esportivo, escritor, poeta, chargista e responsável pela publicação do semanário viçosense “Muzungu”.

 

Qual é a sua reação?

Gostei
3
Adorei
1
Sem certezas
0

Os comentários estão fechados.

Próximo Artigo:

0 %