Poesia & Conto

Poemas | António Canteiro

JOGO DO PIÃO

Poderás polir palavras 

de arestas

ou nas dobras escrever 

o rumor? Sagrado segredo

adágio de pião 

que gira. Esquinas acolhem o paraíso 

num círculo

onde a angústia 

labora…

 

 

ALCATRUZ

À roda das vacas

sonho alado

no corpo do engenho

flui 

Das leiras

o leve recato

O luar da água

pelas veias da

terra.

 

ANTÓNIO CANTEIRO

in O SOL INCENDEIA O ALARIDO DAS CIGARRAS

(Prémio Literário Fausto Guedes Teixeira 2022)

Edições Húmus – março 2023

 

Fotografia de António Canteiro

 

ANTÓNIO CANTEIRO, pseudónimo de João Carlos Costa da Cruz, nasceu em S. Caetano – Cantanhede, em 1964. Vive atualmente em Febres – Cantanhede. 

Frequentou o Conservatório de Música de Coimbra até ao 3º ano de classe musical (flauta transversal) e foi membro efetivo da Orquestra da Tuna Académica de Coimbra, durante o ano do seu Centenário (1988).

Desde jovem vem colaborando com vários jornais e revistas locais: jornal “Ver Lendo” (de que foi cofundador), Jornal “Aurinegra”, “Independente” de Cantanhede” e “O Varzeense” de Góis. 

É Técnico Superior de Reinserção na Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, desde 1992, tendo iniciado o seu percurso profissional em Paços de Ferreira, encontrando-se no mesmo serviço, em Aveiro, desde 1995.

Na poesia e no romance, conta com 11 obras publicadas, uma inédita e uma tradução: Parede de Adobo (Edições Húmus), romance que recebeu Menção Honrosa do Prémio Carlos de Oliveira, em 2005; Ao Redor dos Muros (Gradiva Publicações), romance, venceu o Prémio Alves Redol, em 2009; Largo da Capella(Gradiva Publicações), romance, obteve a Menção Honrosa do Prémio João Gaspar Simões, em 2011; O Silêncio Solar das Manhãs (Gradiva Publicações) venceu o Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, em 2013; Logo à Tarde vai Estar Frio (Gradiva Publicações), romance galardoado em 2013, com Menção Especial do Júri, no Prémio João José Cochofel/Casa da Escrita de Coimbra, e vencedor, em 2015, do Prémio Mª Amália Vaz de Carvalho; Na Luz das Janelas Pestanejam as Sombras (Edições Húmus) arrecadou o Prémio de Poesia de Bocage, em 2015; A Luz Vem das Pedras (Gradiva Publicações), romance que venceu o Prémio Alves Redol, em 2015; Vamos Então Falar de Árvores, romance (Edições Húmus), venceu ex aequo o Prémio Bento da Cruz, em 2018; A Casa do Ser (Gradiva Publicações) venceu o Prémio de Poesia de Bocage, em 2018. Não Fosse o Tumulto de Um Corpo (Edições Húmus) venceu o Prémio de Poesia António Cabral, em 2019 e foi Menção Honrosa no Prémio Glória de Sant’Anna, em 2022. Nocturno (Gradiva Publicações), romance, venceu o Prémio Literário Ferreira de Castro, em 2020. O Sol Incendeia o Alarido das Cigarras (inédito) venceu o Prémio de Poesia Fausto Guedes Teixeira, em 2022.

Foi traduzido para língua inglesa, por Joanna Popielska-Grzybowska, o romance Logo à Tarde Vai estar Frio (IT WILL BE COLD IN THE AFTERNOON – e foi publicado pela Eglantyne Books – Publishers of Distinctive Electicism – 2022).

O Capítulo “Cela 13”, do romance Ao Redor dos Muros, faz parte do Manual de Português do Ensino Secundário (Profissional), da Porto Editora, de 2012, da autoria de Olga Magalhães, Fernanda Costa e Vera Magalhães.

Qual é a sua reação?

Gostei
1
Adorei
0
Sem certezas
0

Também pode gostar

Os comentários estão fechados.