Política

Eu só queria… entender | Xico Simonini

  Há coisas e coisas! Discutíveis ou não! Aquelas coisas!

 

     Capitalista ou Socialista? Azul ou Verde? Religioso ou Ateu? Cruzeiro ou Atlético? Gordo ou Baixo? Conservador ou Revolucionário? Casado ou Amasiado? Dialético ou Antidialético?       

 

     Há coisas e coisas! Discutíveis ou não! Aquelas coisas! 

 

     Debater, sim! Dialogar, sim! Discutir, sim! 

 

     No campo das ideias, do conhecimento, dos gostos, das preferências tudo é possível, tudo é salutar, tudo é aceitável. 

 

     Eu prefiro… Eu não prefiro… Eu não gosto… Eu gosto…

 

     Estudei para preferir ou estudei para não gostar ou tenho a intuição para gostar ou tenho a intuição para não preferir…

 

     Eu gosto… Tu preferes… Ele gosta… Nós preferimos… Vós gostais… Eles preferem…  

 

     É assim que a banda deve tocar. Voltaire corroborava tudo isto: “Eu discordo do que você diz, mas defenderei até a morte, seu direito de dizê-lo.”    

 

     Verdade? Deveria ser! Mas não é! Aí estão a Alienação… A Coisificação… A Massificação… Ou, no popular, A Imbecilização… A Babaquice… A Idiotice… Asseverando que o buraco é mais embaixo, é bem mais embaixo o buraco…

 

     Há coisas e coisas! Discutíveis ou não! Aquelas coisas!

 

     Proposições… Condições… Posições… Colocações… Posturas… Conjunturas… Propósitos…

 

     E daí? Por causa disso… Dado a isso… Por tudo isso… Uma desgraça, uma tragédia, uma calamidade, uma catástrofe… 

 

     Cristãos ou coisa que os valha, se intitulando seguidores de Cristo, elegendo Torturadores e Assassinos. 

 

     EleGêBêTês ou coisa que os valha, originários da Homo Afetividade, elegendo Homofóbicos e Lesbofóbicos. 

 

     Negros ou coisa que os valha, descendentes de Zumbi, elegendo Racistas e Eugênicos. 

 

     Mulheres ou coisa que as valha, originárias da Eva, elegendo Misóginos e Ginófobos… 

 

     Há coisas e coisas! Discutíveis ou não! Aquelas coisas!

 

     Estudei para preferir ou estudei para não gostar ou tenho a intuição para gostar ou tenho a intuição para não preferir… 

 

     Em sendo assim e assim sendo, “Cesse tudo que a antiga lógica canta, que outro valor mais alto se levanta”, no compasso dos Incoerentes… Desconexos… Incongruentes…

 

     Cristão Intrujão, aquele que finge com o objetivo de, enganando, dizimar bolsos dizimados de dizimados crentes. Nada, absolutamente nada, de dividir o pão, mas de empalmar a fornalha inteira. 

 

     EleGêBêTê Jacobeu: Pode ser a designação de um sujeito de nome Zezé… Será que ele é? Será que não é? Hipócrita, falso, aleivoso – Não importam rebolados, trejeitos ou desmunhecadas.  

 

     Negro Jabuticaba, preto por fora, branco por dentro e o caroço é duro de engolir e, além de tudo, provoca o empedramento de ventres e panças. 

 

     Mulheres Fraquejadas destes brasis varonis de espantos mis e vis useiras e vezeiras na desonra, no estupro e violação de suas prendas, dotes e regalos. 

 

     Cristãos Intrujões… EleGêBêTês Jacobeus… Negros Jabuticabas… Mulheres Fraquejadas… Salvas as exceções de praxe, votaram no torturador e assassino, no homofóbico e lesbofóbico, no racista e eugênico, no misógino e ginófobo. 

 

     Como diria o Macaco da televisão, “Não precisa explicar… Eu… Só queria… entender…”

Francisco Simonini da Silva (Xico Simonini)  nasceu em Viçosa, MG, no dia 18 de novembro de 1941. Em sua cidade natal, em Belo Horizonte (MG), Florestal (MG), Pará de Minas (MG), Divinópolis (MG), Piracicaba (SP), Assis (SP), Primeiro de Maio (PR), Juiz de Fora (MG), Cataguases (MG), Ponte Nova (MG) e, recentemente em Santo Antônio de Pádua (RJ) construiu sua trajetória de professor e administrador do sistema educacional, além de marcante atuação na imprensa e na militância político-partidária. Aposentou-se como professor-adjunto na Universidade Federal de Viçosa (UFV), onde exercia suas funções no Departamento de Educação, do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Vem atuando, há mais de cinquenta anos, no sistema educacional público e privado (da educação infantil à pós-graduação), no ensino, pesquisa, extensão e administração. Por iniciativa individual ou coletiva participou da fundação de uma dezena e meia de escolas e cursos em todos os níveis. Sua trajetória é marcada por vigorosa atuação política, partidária e sindical e em campos diversos, como músico, desportista, comentarista esportivo, escritor, poeta, chargista e responsável pela publicação do semanário viçosense “Muzungu”.

Qual é a sua reação?

Gostei
3
Adorei
7
Sem certezas
0

2 Comentários

  1. caro simonini – uma surpresa reencontrar-te por aqui!
    grande abraço!

  2. caro simonini – uma surpresa reencontrar-te por aqui!
    grande abraço!

Os comentários estão fechados.

Próximo Artigo:

0 %