Cultura

Projeto Sempre Um Papo em InComunidade = Valter Hugo Mãe de volta ao Sempre Um Papo | Myrian Naves

Projeto Sempre Um Papo em InComunidade

Valter Hugo Mãe de volta ao Sempre Um Papo

 

Myrian Naves (*)

 

Tenho muito prazer em apresentar aos leitores de InComunidade o conteúdo do Sempre um Papo, Associação Cultural Sempre um Papo, um projeto brasileiro, mineiro, e que acompanho desde a sua fundação, como parte do público cativo do trabalho de Afonso Borges.

 

Através deste projeto houve maior acesso a vários escritores brasileiros numa época em que isto ainda era restrito, não havia incentivos, feiras literárias. Pelos costumes, também pela época que restringia ainda mais a proximidade entre a Cultura e a Educação, e por um distanciamento que ainda imperava entre escritores e leitores. Além da leitura literária, o jornalismo nos aproximava desse universo, com seus cronistas a ligar todo o país ao cotidiano de nossos escritores, suas crenças, costumes, desejos. Poetas, contistas, romancistas, jornalistas que formavam um time imbatível lido por todo o país – como se diz no Brasil – do Oiapoque ao Chuí. País continental, como bem sabe o leitor português.

 

O Sempre um Papo faz parte dessa história, desta democratização da Cultura. O ambiente cultural a que tivemos acesso apesar da época restritiva conta – a geração de Afonso Borges – seja convivendo com silêncios importantes, ou iniciativas instigantes – espetáculos teatrais, revistas literárias, visitas de poetas, escritores, e os festivais culturais.

 

Os professores que se formavam nas universidades iniciavam a levar os escritores a palestrar em auditórios e salas de aula. A Universidade Federal de Minas Gerais havia criado o Festival de Inverno de Ouro Preto que congregava os artistas e sua arte com os estudantes, jovens artistas no espaço da cidade barroca em encontros memoráveis e que formou gerações.

 

Acompanhávamos os autores, os poetas, as revistas literárias, os jornais, e íamos às livrarias, aos sebos da cidade. Provavelmente nosso poeta e cronista mais próximo era o mesmo, Carlos Drummond de Andrade, publicado semanalmente em nosso jornal e nacionalmente, poeta querido por todo um país. Fora uma lista interminável de cronistas e contistas que ainda influenciam gerações. Faltava uma proximidade com escritores, poetas e jornalistas que líamos então. Não precisei perguntar-lhe o que o trouxe a suas atuais atividades. Além da óbvia vocação para a escrita e a leitura, para a mediação, o jornalismo, provavelmente a época vivida em Belo Horizonte e o que acontecia no país deve ter marcado sua trajetória como marcou a minha.

O Sempre um Papo é uma sociedade civil sem fins lucrativos, de caráter cultural. Sua missão é contribuir para o desenvolvimento de políticas de incentivo ao hábito da leitura a fim de formar cidadãos mais críticos.

 

Criado em 1986, pelo jornalista Afonso Borges, o Sempre Um Papo é reconhecido como um dos programas culturais de maior credibilidade do País. Em sua história, já ultrapassou os limites de Belo Horizonte e chegou a 30 cidades, em oito estados da Federação, além do Distrito Federal, tendo sido realizado também em Madri, na Espanha. Com o tempo, vieram outros projetos e iniciativas que visam o incentivo à leitura e possibilitam, conjuntamente, a associação entre cultura, educação e responsabilidade social.

 

Sua atuação, hoje, distribuída em vários projetos como o Projeto Sempre um Papo, o Sempre um Papo Comunidade, o Portal Sempre um Papo, Redes Sociais, a Biblioteca Sempre um Papo / Ler Convivendo, a Série de DVDs Educativos, o programa MONDOLIVRO e o projeto ESPAÇO DOS LIVROS.

Valter Hugo Mãe de volta ao Sempre Um Papo

#SempreumPapo  com  Valter Hugo Mãe no Palácio das Artes

 

Foi em 28 de julho de 2022 o encontro do Sempre Um Papo que apresento aos leitores de InComunidade. Um encontro entre amigos, ao palco, recebeu o escritor português Valter Hugo Mãe para o debate e autógrafos de seu novo livro, “As doenças do Brasil”. O encontro teve a mediação de Afonso Borges e aconteceu no dia 18 de julho, segunda-feira, às 19h, no Grande Teatro Cemig Palácio das Artes – com entrada gratuita. A visita de Valter Hugo ao Brasil foi uma iniciativa do selo Biblioteca Azul e do Museu do Amanhã, com o apoio de Portugal, País homenageado da Bienal Internacional do Livro de SP, o IDG – Instituto de Desenvolvimento e Gestão.

 

“As doenças do Brasil” foi publicado em novembro de 2021 pela Biblioteca Azul, marca o retorno de Valter Hugo Mãe ao gênero romance, após cinco anos. A obra, ambientada em solo brasileiro, faz uma homenagem às pessoas dessa nossa terra: os que aqui já estavam e os que vieram forçados durante o período colonial. No centro da trama, encontram-se duas personagens principais: Honra, filho da violência de um branco com uma mãe indígena, e Meio da Noite, um negro que cai capturado pelos abaetés. A princípio, sua presença é vista com desconfiança, mas depois faz florescer a união contra a imensa sombra branca que avança contra eles.

 

Ao contrário dos registros históricos sobre a colonização, “As doenças do Brasil” coloca as pessoas indígenas no centro da narrativa, ao contar, sob sua ótica, a invasão e o genocídio promovidos pelos europeus. Para isso, cria uma linguagem, um povo e toda uma visão de mundo com personagens e cenários inesquecíveis, em um romance exuberante e carregado de densidade lírica. O livro conta ainda com artes de Denilson Baniwa e prefácio de Conceição Evaristo.

 

Valter Hugo Mãe lê um trecho de “O Filho de Mil Homens”- #LeituradeAutor

“Sempre Um Papo” no FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, em Portugal

 

 

(Afonso Borges, criador do Sempre Um Papo, esteve presente no Festival Literário Internacional de Óbidos (Foto: Drigo Diniz)

O Sempre Um Papo esteve presente no Folio – Festival Literário Internacional de Óbidos 2022, Portugal, de 6 a 16 de outubro último, que teve o “Poder”, como tema desta edição. A programação do Sempre Um Papo no festival aconteceu dentro do Folio Mais, espaço dedicado às iniciativas locais e às propostas dos parceiros internacionais que contribuem e engrandecem o programa do evento. Afonso Borges, diretor do Sempre Um Papo esteve no centro de alguns debates, assim como mediador de mesas.

 

A programação do Sempre Um Papo foi realizada em parceria com a Editora Nós, de Simone Paulino, em debates, moderação de mesas. Entre os autores participantes, Jeferson Tenório e Ondjaki.

 

LINKS para participações anteriores de Valter Hugo Mãe no PROJETO SEMPRE UM PAPO:

SempreUmPapoEmCasa com Valter Hugo Mãe 2021

https://www.youtube.com/watch?v=XvBcTWptwSM

 

Valter Hugo Mae no Sesc Vila Mariana -2020

https://www.youtube.com/watch?v=AUIHGLq4T1o

 

Valter Hugo Mãe no Sesc Santo André – 26 de junho de 2019

https://www.youtube.com/watch?v=_8EIEpP4_fs

 

Valter Hugo Mãe no #SempreUmPapo – 2018

https://www.youtube.com/watch?v=Jgx1H02NCyo&t=10s

(*) Este artigo foi escrito por Myrian Naves, em consonância com os conteúdos veiculados pelo Sempre Um Papo, com a devida autorização de seu criador.

 

Fotografia de Valter Hugo Mãe

 

Fotografia de Afonso Borges

Valter Hugo Mãe nasceu em Saurimo, na Angola, em 1971. Sua obra está traduzida em muitas línguas, tendo um prestigiado acolhimento em países como Alemanha, Espanha, França e Croácia. É autor de mais de 30 livros, incluindo romance, conto, poesia e títulos infantojuvenis. Entre seus livros de maior popularidade estão “O remorso de Baltazar Serapião” (Prêmio Literário José Saramago); “A máquina de fazer espanhóis” (Grande Prêmio Portugal Telecom de Melhor Livro do Ano e Prêmio Portugal Telecom de Melhor Romance do Ano); “O filho de mil homens” e “Homens imprudentemente poéticos”. 

 

Reza a lenda que tem amigos queridos pelas Minas Gerais, em Belo Horizonte, e sente-se em casa, o que muito nos alegra. 

 

Afonso Borges é jornalista brasileiro, gestor cultural e escritor.  Criou, em 1986, o projeto “Sempre Um Papo” Em 2012, o “Fliaraxá” (Festival Literário de Araxá) e em 2021, o “Flitabira” (Festival Literário de Itabira), os quais também é Curador. É comentarista da Rádio Alvorada FM, com o programa “Mondolivro”.  Tem 6 livros publicados, entre eles, o infantil “O Menino, o Assovio e a Encruzilhada” (Editora Nós) e contos, “Olhos de Carvão” (Record). É um dos contistas brasileiros convidados a comemorar os cem anos de José Saramago na antologia “Todos os Saramagos”, Páginas Editora, 2022. É curador do Portal Mondolivro onde reúne toda a sua produção intelectual e profissional. Atualmente, integra do Conselho de Cultura da Associação Comercial de Minas Gerais e a vice-presidência do Conselho da Organização Social SP Leituras – Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura -, sediada em  São Paulo. 

 

Consta que é um amigo de Valter Hugo Mãe, recebe a todos mineiramente bem, e, como Myrian Naves teve como quintal o mesmo parque, onde se localiza o Grande Teatro Palácio das Artes, casa em que recebeu Valter Hugo Mãe neste evento que apresentamos aos leitores da revista, Em outro momento, ali também recebeu José Saramago em noite memorável. Conta-se em Minas que este foi o maior público do escritor em um evento privado. 

 

Myrian Naves, poeta, escritora, professora de Literatura Brasileira, organizou a antologia “Todos os Saramagos”, trinta contos de escritores brasileiros e portugueses em comemoração ao Centenário de José Saramago. Páginas Editora. Belo Horizonte.2022. Lança “Monami”, poesia, pela Páginas Editora.2022. Faz parte do conselho editorial da Revista InComunidade. Curadora do conteúdo do “Sempre Um Papo”  para a Revista InComunidade. 

Qual é a sua reação?

Gostei
1
Adorei
5
Sem certezas
0

Também pode gostar

Os comentários estão fechados.

More in:Cultura